top of page

TAMTEX é pioneira e homologa o primeiro colete balístico de acordo com a nova legislação.

Por Antônio Bertagnoli.


Um breve contexto…


Desde que coletes balísticos começaram a ser produzidos no Brasil, nos anos 90, o órgão responsável por regular a atividade de produção e garantir os padrões normativos é o Exército Brasileiro.


Durante as duas décadas que se seguiram, toda empresa interessada em desenvolver, fabricar ou comercializar este tipo de equipamento deveria ser licenciada no EB e submeter seus protótipos ao laboratório de ensaios no Rio de Janeiro, o CAEX.


Contudo, o CAEX não foi concebido inicialmente para atender a indústria, e sim para o testar e homologar produtos de uso do próprio Exército. Conforme o mercado foi se desenvolvendo, a capacidade deste laboratório de atender as indústrias nacionais foi se mostrando cada vez mais limitada. Com o tempo, normas defasadas e filas que chegavam a durar mais de um ano passaram a atrasar o desenvolvimento de novas soluções, em um momento em que as forças e as empresas de segurança demandam coletes cada vez mais avançados.


Um novo cenário


A partir de 2017, um diálogo colaborativo entre associações das indústrias e stakeholders em colaboração com a DFPC (órgão do exército responsável pela fiscalização) teve como resultado alterações na legislação, tornando o desenvolvimento de produtos controlados mais ágil e aceitando normativas mais atuais. A TAMTEX esteve presente em todo este processo, acompanhando e colaborando para os efeitos positivos dessa mudança.


Na área da proteção balística, a mudança mais significativa foi o estabelecimento de laboratórios independentes destinados à homologação dos projetos da indústria, gerando uma resposta mais veloz nos processos de desenvolvimento de novos produtos. Os antigos RETEX, relatórios de conformidade expedidos pelo CAex, agora foram substituídos pelo Certificados de Aprovação, emitidos por OCD designados pelo Exército.


O problema


A TAMTEX sempre esteve na vanguarda do desenvolvimento de novos coletes, buscando ou mesmo desenvolvendo novas tecnologias. Com um laboratório próprio utilizado para pesquisa e inovação e know-how extenso na área de balística, muitas vezes teve seus lançamentos adiados em função da esquematização anterior, perdendo o importante timing do mercado. Com a nova legislação, nos vimos empolgados com as novas possibilidades.


Contudo, embora houvesse evolução do campo legislativo, a infraestrutura nacional ainda não estava estabelecida, e a única solução era buscar os serviços de laboratórios internacionais, de custo elevadíssimo.


Apoiando o desenvolvimento Nacional


O primeiro laboratório homologado no Brasil para a avaliação de PCE foi o Techss. Comandando por Fabio Syanga. Com estrutura moderna, tinha o desafio de conquistar a confiança da indústria nacional e do mercado consumidor em geral. A TAMTEX prontamente firmou contrato para homologar seu primeiro colete balístico dentro da nova legislação, os primeiros processos deste tipo em solo nacional, que foram emitidos em 20/07/2022, No: PCE-041-2022-02 e PCE-041-2022-03


O Processo


Embora munido de excelente estrutura, o primeiro processo é sempre um desafio. Após extensa troca de know-how e parceria indústria/laboratório, a TAMTEX homologou, através da Techss e com supervisão da ABIMDE, o primeiro colete à prova de balas de acordo com a nova legislação, feito totalmente no Brasil.

Todo o processo levou apenas 6 meses, desde os trâmites burocráticos iniciais até o registro final do colete no Título de Registro, pronto para comercialização. A homologação prévia mais recente levou 2 anos e 6 meses.


Novo produto


Mais importante que o processo, é o produto: No segundo semestre de 2022 a TAMTEX lançou no mercado o colete TX, nível II-A. Graças às tecnologias empregadas, este colete possui 7 camadas, enquanto coletes do mesmo nível no mercado possuem em média 15. Em pouco tempo ele já está presente na maioria das empresas de segurança do Brasil, equipando e protegendo mais de 5.000 mil agentes.


Graças a esta bem-vinda evolução legislativa, aos novos laboratórios e ao esforço conjunto entre indústria e EB, agora o Brasil está de portas abertas para a evolução tecnológica de equipamentos de proteção pessoal, e a TAMTEX tem muito orgulho de fazer parte deste processo. Tanto que já temos um novo produto homologado, a ser lançado ainda no segundo semestre de 2023, uma nova tecnologia balística com apenas 6 camadas.


É importante ressaltar que essas evoluções de Coletes passam primeiramente por uma mudança de cultura e entendimento da indústria.


Quando deixamos de tratar Coletes à Prova de Balas como um peça de confecção feita por tecidos sobrepostos e passamos a tratar como COMPOSITES aliando polímeros de alta performance a fios de alta tenacidade, permitindo a evolução do material em leveza, peso e espessura.


コメント


bottom of page